quinta-feira, 27 de maio de 2010

Não levem o lulla a sério. Você não merece!

O lulla não deve ser levado a sério.
Elle, agora, sendo um cacareco velho e surrado, voltou a ser criança.
Elle e a patota dele estão de faz-de-conta.

O lulla levou uma coça de todos os países latinos americanos. Não ganhou nenhuma disputa.
O lulla ficou que quatro para a Argentina, Paraguai, Bolívia e Equador. Só levou pau.
Também levou uma banana de Honduras.
O lulla está tentando quebrar o Brasil e até agora não conseguiu.
Até quando vamos ter que aguentar este populista barato.


Nosso homem em Teerã Demétrio Magnoli

 
"Paira no ar um falso mistério, exposto por Clóvis Rossi na Folha de S.Paulo sob a forma de uma indagação: "Por que os EUA resolveram torpedear o acordo Brasil-Turquia-Irã?" Gilles Lapouge, no Estado, ofereceu uma resposta, que está implícita na própria pergunta: "À primeira vista, podemos pensar que os grandes da diplomacia mundial simplesmente ficaram melindrados ao ver que Ancara e Brasília obtiveram de um só golpe o que os "gênios" não conseguiram." Rossi e Lapouge são analistas independentes, não porta-vozes informais de Lula e Celso Amorim, como tantos outros. Pergunta e resposta, contudo, funcionam como senhas de uma narrativa oficiosa brasileira de graves implicações estratégicas.

A narrativa é a seguinte: 1) O acordo tripartite obtido por Brasil e Turquia é idêntico ao proposto em outubro pela Agência Internacional de Energia Atômica e rejeitado pelo Irã; 2) os EUA estimularam o Brasil a perseguir o acordo, como atestariam trechos vazados de uma carta de Barack Obama a Lula; 3) Washington rejeitou o acordo com a finalidade de barrar a ascensão de Brasil e Turquia ao estatuto de mediadores da questão iraniana; 4) assim como George W. Bush, Obama não está interessado em negociações, perseguindo uma confrontação com o Irã.

Obrigado Thomas L. Friedman!

Apesar dos sete bilhões de doláres gastos em propagandas para dourar a pílula e enganar os trouxas, nem todos cairam na castata do lullismo sindicalismo parasitário.  É só o começo. Firme na luta.
Chega de jornalismo e jornalista vendido e doutrinado.
A verdade e a justiça prevalecerá.

Fora lulla, fora ditador, fora apedeuta. Aposente-se e descanse em paz e nos dê paz.


"Feio quanto parece

Confesso que quando vi a foto do presidente do Irã, Mahmoud Ahmadinejad, com seu colega brasileiro, Luiz Inácio Lula da Silva, e o premier turco, Recep Tayyip Erdogan, de braços levantados, depois de assinar o acordo para supostamente desarmar a crise sobre o programa nuclear iraniano, tudo o que pude pensar foi: há algo pior do que assistir a democratas vendendo outros democratas a um criminoso iraniano, que nega o Holocausto e frauda eleições, só para implicar com os EUA e mostrar que eles também podem tomar parte do jogo dos poderosos? Durante anos, países não alinhados e em desenvolvimento acusaram os EUA de satisfazer cinicamente seus interesses, sem levar em conta os direitos humanos, observou Karim Sadjadpour, da Carnegie Endowment. À medida que Turquia e Brasil aspiram a atuar globalmente, vão se defrontar com as mesmas críticas que antes faziam.

O pai dos tontos e dos otários

Esta porcaria da anistia internacional (que só serve para encher o saco) já está dando no saco. Só porque o Brasil está dominado pela incomPTência e bandalheira generalizada, pensa que pode ficar dando pitaco.
Chega! Vê se vão intrometer em Cuba ou na China se tiver moral.
Aqui tem Constituição e um Supremo Tribunal Federal, que por enquanto, não está totalmente dominado pelo petralhas, apesar do banditismo estatal.
O banditismo é praga no Brasil. Quando morre um nascem dois.
Também, estes bandos de pais irresponsáveis. Põem filhos no mundo e não dão conta de criá-los e educá-los. Só querem saber de vuco vuco, mas na hora de cuidar filho, deixa jogado no mundo.
Também, só querem moleza. Haja tanta bolsa esmola.

Agora, quando o Brasil ficar totalmente dominado por estes comunistas bandidos, vamos chamar o "povo do lulla" para resolver.
Aí quero ver quem é o verdadeiro pai dos pobres, tontos e otários.

"ANISTIA INTERNACIONAL INTEREFE INDEVIDAMENTE NA CAMPANHA ELEITORAL BRASILEIRA
Como vocês podem ver não se trata de uma teoria conspiratória. É a verdade dos fatos demonstrando que há uma articulação internacional condescendente com o pensamento políticamente correto, transformado no refúgio, no abrigo para a canalha esquerdista que domina e pauta as redações de jornais e agências internacionais, como essa tal Anistia Internacional, com sede na Inglaterra, um país democrático que garante a liberdade e segurança aos seus cidadãos.

Queria que esses chefetes da Anistia vivessem aqui no Brasil. As pessoas no Brasil já não podem mais andar nas ruas sossegadas. A cada esquina há um bandido, um assassino pronto para atacar. À noite nem pensar em por os pés na rua. Aqui mesmo em Florianópolis, capital de Santa Catarina, um dos Estados mais equilibrados socialmente em termos de Brasil, a população já vive submetida ao terror do banditismo.

quarta-feira, 26 de maio de 2010

Ninguém quer perder a boquinha

Veja um trecho de um forró pé de serra, de Luis Gonzaga, que nos anos 80, saiu no Fantástico.

ah isso aqui tá muito bom, isso aqui tá bom demais. ah que tá fora quer entrar, mas quem tá dentro não sai.

No Brasil, é do mesmo jeito.
Quem tem uma boquinha não quer perder e quem não tem, quer ter.

Vê se fala sério!!!


07/11/2009
Maitê e as aposentadorias hereditárias
Josino Moraes

"Em novembro de 2009, descobri, através de uma nota da colunista social Mônica Bergamo, da Folha de S. Paulo, que essa famosa e belíssima atriz global goza de duas aposentadorias hereditárias pelo Estado de S. Paulo, somando a bagatela de R$ 13 mil. Sabe-se de caso semelhante nessa cidade, filha de desembargador, com provento muito mais gordo. Ela é filha “solteira” de uma professora estadual e um procurador, do Estado. O que mais me chamou a atenção é o fato de ela gozar de uma aposentadoria hereditária dupla! Até então, eu desconhecia essa possibilidade sui generis. Certamente, outros casos há de haver, mas como descobri-los?

O Brasil é um pais de tolos e analfabetos funcionais.

Sendo que a grande maioria da população é formada por analfabetos funcionais, somando-se a enorme publicidade oficial partidária endêmica, um ministério público omisso, poder judiciário intimidado pelo petismo, um presidente que viola as regras comezinhas  de um estado de direito e o serviço público sofrendo de uma corrupção visceral, nada mais surpreende.




“O Brasil é o império das ilusões” (Jean Baudrillard, 2002)
Há muitos exemplos para ilustrar o título acima. Aqui, serão relatados apenas os mais recentes factóides desde 2008 – entenda-se aqui pela palavra, fatos imaginários com a aparência de fatos reais. Esses factóides, de outro ponto de vista, podem ser meramente vistos como simples exercícios mentais, ainda que, com profundas implicações políticas.

segunda-feira, 17 de maio de 2010

A lei de anistia e os tontos ideológicos

E ainda tem tonto achando que as organizações internacionais vão fazer alguma coisa contra o Brasil.
Estas organizações estão infestadas de comunistas e sanguinários.
Elas perderam a sua importância há muito tempo.
Direitos humanos é um clichê para enganar tontos e analfabetos, tomando-lhes o seu precioso dinheiro para sustentar verdadeiras orgias socialistas.
Como contribuinte e cidadão, quero mais é que estes SUPRASSUMOS da moralidade vão plantar coquinhos.
Ives Gandra demonstra o quanto se perde tempo com as organizações internacionais, hoje, sem representatividade alguma.


A decisão do STF sobre a anistia
Autor(es): Ives Gandra Martins
Jornal do Brasil - 10/05/2010

A esperada decisão da Suprema Corte sobre a Lei da Anistia demonstrou a maturidade do Poder Judiciário brasileiro ao tratar temas polêmicos sem deixar-se influenciar por apelos políticos ou pressões internacionais.

Foi uma decisão inatacável, irretocável e precisa do ponto de vista jurídico, sem que a Suprema Corte avalizasse, em nenhum momento, as torturas praticadas, entre 1969 e 1971, por militares e pelos integrantes da guerrilha – movimento armado que, a meu ver, atrasou a redemocratização do país, obtida mais pela arma da palavra, da OAB e de parlamentares, que pelas armas de fogo.

O lullismo e a herança maldita

Basta ler os históricos do lulla e de sua curriola. Basta consultar a ideologia do incomPTente partido e bem como, de todo socialismo jurássico, que a pessoa vai compreender que não se poderia e nem se pode esperar outra coisa deles.

Consulte na internet os fundamentos do socialismo. Consulte, também, o que é o foro de São Paulo.

No mais, este é o preço do populismo e da sua popularidade.
Egocentrismo total.
Foda-se a nação e o povo bovinamente dominado.
Esta é a verdadeira herança maldita.
O próximo governo terá enormes dificuldades para consertar a lambança do pt (com minúsculo). Então, em 2014, virá o lulla, como o salvador da pátria, enganando o seu povo, bovinamente dominado.
Quem viver verá.


LULA VAI DEIXAR DÍVIDA RECORDE PARA SUCESSOR
"HERANÇA MALDITA" DE 64% DO PIB
Autor(es): Agência O Globo/Regina Alvarez BRASÍLIA
O Globo - 16/05/2010


"Endividamento cresce e chegará a R$ 2,2 trilhões, 64,4% do PIB

Com o aumento de gastos no governo Lula, a dívida total do setor público no país cresceu e chegará ao maior patamar dos últimos dez anos. Em dezembro deste ano, o endividamento baterá a cifra recorde de R$ 2,2 trilhões - 64,4% do PIB -, aponta estudo do economista Felipe Salto, da Consultoria Tendências. Em 2000, a dívida era de R$ 622,2 bilhões, 52,7% do PIB. A herança do governo Lula para seu sucessor foi turbinada por "empréstimos" que o Tesouro vem realizando com o BNDES desde o ano passado, por meio da emissão de títulos públicos. O crescimento da dívida é visto por analistas como fator de risco futuro, principalmente para a credibilidade do Brasil no mercado.

sexta-feira, 14 de maio de 2010

Anistia política - a verdadeira sorte grande

Eu só queria saber o que estes anistiados fizeram de importante para a sociedade brasileira. Qual o motivo da perseguição? Que perseguição? Onde estão os documentos comprobatórios? Morreu de quê? Quem o perseguiu? E a qual a relação desta perseguição com nós contribuintes? Que interesse tem para a sociedade as produções dele? O que ele produzia? E, por fim, qual é o advogado que está atuando em favor deste cineasta?

Só depois é que vou dizer se concordo ou não com a indenização, que é o real objetivo desta anistia.


PERSEGUIDO DURANTE A DITADURA

Morto há quase 30 anos, cineasta Glauber Rocha será anistiado pela Justiça
Agência Brasil - 07/05/2010 - 10h10


"O cineasta Glauber Rocha, morto em 1981, será declarado anistiado político pela Comissão de Anistia do Ministério da Justiça no dia 26 de maio, em Salvador (BA). A Comissão reconhecerá que o cineasta sofreu censura e perseguição em suas produções durante o período da ditadura militar (1964-1985).

O evento será organizado pela Comissão da Anistia, o Ministério da Cultura e a Secretaria de Cultura da Bahia.

Eu mandaria o lullismo para o beleléu

Se o lullismo debocha da justiça eleitoral é porque ela deu e dá causa.
Parece que o TSE e os ministérios públicos da vida se intimidam diante do lullismo.

A título de exemplo, dizem os articulistas que Jackson Wágner, ex-governador do Maranhão, teve o mandato CASSADO por muito menos.
Os valores das multas são tão pequenos que não farão a mínima intimidação ao lullismo.

O lullismo está acostumado a lidar com milhares de reais.
Neste caso, a punição não terá o condão de punição e muito menos de advertência.

O TSE deveria começa a aplicar multas na casa dos MILHARES, pois só assim, o lullismo poderá se intimidar.
Ademais, há subliminarmente um jogo petismo aí.

Eles continuarão a provocar e a zombar da justiça (que faz por merecer) até uma eventual punição exemplar.
Depois elles virão com o surrado e ultrapassado discurso de GOLPISMO, que aliás, já estão ensaiando prá ver se cola.

Se eu fosse o relator, iria propor a aplicação de multa de UM MILHÃO DE REAIS.
E se houvesse reincidência, aplicaria a punição de INEGEBILIDADE por 3 anos para o lullismo cara-de-pau.

Na verdade, o lullismo debocha é das PESSOAS HONESTAS, TRABALHADORAS E CUMPRIDORAS DAS LEIS, coisa que o lullismo passa longe.

Eu mandaria o lullismo para o beleléu.
Mande você também a república sindicalista para o quinto dos infernos.



Petista ''debocha'' da Justiça Eleitoral, diz advogado
Autor(es): Julia Duailibi - O Estado de S.Paulo
O Estado de S. Paulo - 14/05/2010

'Na avaliação dos tucanos, o programa nacional do PT que foi ao ar ontem infringiu, mais uma vez, a lei por ter promovido campanha eleitoral antecipada. O PSDB estuda se é o caso de entrar com outra representação contra os adversários petistas no Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

sábado, 8 de maio de 2010

Mande o político e os juizem plantarem batatas!

Toda vez que se altera alguma lei, nunca ela é voltada para a sociedade. Ela é voltada para resolver os problemas causados pela má administração pública.

A tal lei da prescrição, conforme explica o articulista, é para disfarçar a morosidade do poder judiciário. Este poder é lento, não em razão da conduta dos advogados , mas em razão da total falta de capacidade jurídica e administrativa dos juízes. Não tem conhecimento de gerenciamento e administração. Eles estão de quatro para o ministério público, o verdadeiro poder e controlador do poder judiciário. Os juízes dizem amém a tudo que o promotor pede. Inclusive, estão transcrevendo na íntegra as tais cotas ministeriais como razão de decidir. No fundo mesmo, não decidem nada. Não estão fazendo por merecer um dos salários mais alto do mundo, bem como, garantias que nenhum outro cidadão tem, como por exemplo, a vitaliciedade do cargo.

A ditadura do juizado especial!

Está para nascer mais uma forma de ditadura.

Quem conhece, sabe que nos juizados especiais vigora o direito pessoal do magistrado.

No juizado especial, cumprir a lei não é obrigatório para o juiz. Não há recurso. O juiz faz o que bem entende. Enfia goela abaixo do cidadão o que ele, juiz, bem entende. O juizado especial é uma maravilha para eles, que vivem no mundo da fantasia.

O juizado especial é a coisa mais enganosa que existe no judiciário. Não funciona. Está lotado de processos irrelevantes e inúteis. As ações tramitam por vários anos sem nenhum resultado concreto. O direito ali aplicado é o direito da magistratura. É o direito virtual. Dane-se a lei, dane-se o cidadão, dane-se a sociedade.

Lulla, o virus da discórdia!

O grande guia disse que ele nasceu com o virus da paz. No entanto, o seu governo, além de ser formado por terroristas e corruptos, ele dá cobertura a assassinos e terroristas julgados e condenados por justiça de outros países.

E ele insiste em jogar os países latinos americanos formados por ditadores e oligarquias contra HONDURAS, em razão da deposição constitucional do golpista Zelaya do poder.

Ele mais parece o bobo da corte.

Quem era lula antes dele tomar posse do Brasil?
Vamos ver quem será ele quando largar da presidência do Brasil.
Ele voltará a sua insignificância.


Esqueceram de Cuba
Autor(es): Peter Hakim
Jornal do Brasil - 05/05/2010

"Estou de acordo com o chanceler brasileiro, Celso Amorim, quando disse no ano passado que Cuba é uma prova crucial do compromisso do presidente Obama acerca de um novo enfoque na América Latina. Mas Washington precisa da ajuda do Brasil e de outros países da Unasul para formular uma nova política para Cuba.

Havana não é uma preocupação urgente para a América Latina ou para os EUA. Entretanto, em nenhum outro ponto Washington está mais fora de sintonia com o resto da região.

quarta-feira, 5 de maio de 2010

O Brasil e a soberania a moda petista


Brasil diz que lei do Arizona fere direitos humanos dos imigrantes
Do UOL Notícias - Em São Paulo - 03/05/2010.


Lá vai a patota lulista se meter na soberania de outro país.
Se meteram e está se metendo na soberania de Honduras
Mas, o lulismo disse que não poderia interferir na soberania cubana.
O lulismo se sente a polícia e a justiça do mundo.

Eles são os intérpretes do direito internacional. Sabem e tem razão em tudo. Eles são os SUPRASSUMOS da moralidade e da ética.

Pelo menos, é o que eles pensam.

O lulismo conhece o país que vive. Instituições fracas e aparelhadas. Eles deitam e rola.
É a democracia do modo deles. O lulismo se apropriou do povo, da ética, da moralidade, da imparcialidade, do humanismo, da justiça, do ministério público, dos jornais, das instituições, dos jornalistas, das estatais 

Democracia fraca é sinônimo de ditadura legal

Presidente forte democracia fraca. Executivo legislador, democracia fraca. Juiz legislador, democracia fraca. Congresso Nacional corrompido e submisso, democracia fraca. Ministério Público inerte e dominado, democracia fraca. Polícia corrompida, democracia fraca. Fiscais e servidores públicos corrompidos, democracia fraca.
Democracia fraca é sintoma de ditadura disfarçada. É resquício de ditadura mista, uma ditadura social democrática. Social para ferrar a população. Democrática para manter as mamatas deles, com respaldo legal.

A nossa ditadura é a pior. É a ditadura civil. Esta ditadura tem respaldo nas leis que eles próprios criaram em benefício próprio. É a ditadura das minorias militantes.

 
Tá tudo dominado.

 
Quem, além de legislar sem ter sido eleito para tanto, vai cobrar o cumprimento de lei se o mesmo não cumpre a lei?

Se é assim, melhor será a anarquia, apesar de já vivermos numa total de babel em um país de babacas e oportunistas.

 
Veja a matéria:

 
Platão e a tirania dos juízes censores
05 de maio de 2010
Roberto Romano - O Estado de S.Paulo

"Existe um defeito na administração da justiça, para o qual nossos advogados ingleses parecem cegos, ou seja, o abuso do poder judicial. Porque o império da lei, como operado em nossas instituições legais, significa império dos juízes, e aquela forma de império, como outra qualquer, pode se tornar tirania sem as salvaguardas apropriadas." As frases vêm de Glenn R. Morrow, jurista que bem entendeu o pensamento platônico. Vale a pena, em nossos dias, ler o ensaio intitulado Plato and the Rule of Law, publicado por Gregory Vlastos (*).

Juizes legisladores

Salvo engano, este desembargador foi advogado que ingressou no TJSP pelo quinto constitucional.

Eu tive aula com ele. Não gostava de sua aula.
Ele tinha uma oratória sofrível. E as provas que ele aplicava, era muito difícil de entender o que ele queria.

Conforme eu já venho demonstrando minha preocupação, o próprio desembargador afirma implicitamente que os juízes estão legislando.
Eis aí o perigo que ninguém está dando conta.
A lei não vale. Vale o que o juiz entende. O juiz é o primeiro a violar lei sem que haja lei para tanto.  O juiz não foi eleito para legislar.

Assim fica fácil para eles e difícil para os cidadãos que são submetidos a lei aprovado no Congresso Nacional, que deveria ser aplicada igualmente a todos.
Trata-se de uma violação do estado democrático de direito.
Hoje, nós estamos subordinados a lei e ao entendimento do juiz, que decidirá segundo as suas convicções moral, política, religiosa etc.
Isto está causando a insegurança jurídica.

A lei deixa de ser geral e passa a ser pessoal, sempre de acordo com o foro intimo do sr. juiz favorecendo uma parte em prejuizo da outra, sendo que ambos, quando da origem dos fatos submetidos ao juiz para a decisão, estava subordinados igualmente a lei aprovada democraticamente pelo Congresso Nacional.
Acorda sociedade!

No mais, se um advogado não tiver conhecimento sobre os princípios citados nesta notícia, não deveria nem passar no exame da OAB.

E, por fim, cabe ao juiz, ao sentenciar, ser claro na fundamentação eis que muitas vezes, sentenças confusas, dubias, obscuras.




SECCIONAL AMPLIA VIDEOAULAS NO SITE

“O ensino a distância do Departamento de Cultura e Eventos da OAB SP está ampliando suas videoaulas disponibilizadas no site da Ordem (www.oabsp.org.br). “ A relação das aulas , inteiramente grátis ,versam sobre vários temas do Direito, redação, oratória, para que o advogado possa se atualizar e se aperfeiçoar, assim como os estagiários, estudantes de Direito e até o público em geral”, explica o presidente da OAB SP, Luiz Flávio Borges D´Urso.

segunda-feira, 3 de maio de 2010

O aparelhamento da impresa e os pelegos parasitas


Carlos Alberto Di Franco desnuda a imprensa tendenciosa e descompromissada com a verdade.
Os ataques à Igreja Católica não são por acaso.

Por detrás, está evidente a atuação das ditaduras das minorias e o patrulhamento ideológico.
Apenas para argumentar, a Igreja Católica é contra a união de homossexuais e contra o aborto (eu também).
Levando-se em contra a dominação, aparelhamento e o patrulhamento do lulismo na imprensa, reforçado por orçamentos bilionários em publicidade.
Um batalhão de pelegos pagos com dinheiro público, não se duvida que tais ataques estão patrocinados pelo socialismo jurássico e ditador, cujos membros estão mamando nas tetas deste desgoverno parasita e plagiador que se apropria dos projetos e outros governos.

Parabéns Carlos Alberto. Você não está só!

Veja:

A crise do jornalismo Carlos Alberto Di Franco
O Estado de S. Paulo - 03/05/2010

"Recentemente, Juan Luis Cebrián, fundador e primeiro diretor do El País, foi entrevistado pela jornalista Laura Greenhalgh, editora executiva do jornal O Estado de S. Paulo. A entrevista, saborosa e inteligente, foi uma sincera reflexão sobre os avanços e recuos do nosso ofício. Cebrián viveu importante momento da história da imprensa espanhola. O El País, independentemente de certo alinhamento ideológico com o governo socialista, é um grande diário.

A crise que fustiga a nossa atividade é flagrada na radiografia do escritor. O que está em jogo é o próprio modo de fazer jornalismo. Cebrián intui a gravidade do momento. "A internet é um fenômeno de desintermediação", diz ele. "E que futuro aguarda os meios de comunicação, assim como os partidos políticos e os sindicatos, num mundo desintermediado?"

domingo, 2 de maio de 2010

Porque eu sou conservador – parte I

Conversadorismo x modernismo - a evolução social.

Toda vez que nós afirmamos alguma coisa , estamos negando todas as demais que a contrarie.

Na vida é assim. Você deve tomar decisões constantemente. Você estará sempre afirmando algo e negando o contrário. Você deverá adotar a tese ou a anti-tese.

Se você é democrata, logo você não é socialista. Se você é Cristão, logo você não é budista. Se você é conservador, logo você não é liberal. Se você vai por aqui, logo você não vai por ali.

Óbvio que deve haver a flexibilização. Mas, tal flexibilização não deve fugir do princípio básico da formação de sua personalidade, que foi amoldada nos usos e costumes do grupo social a que você pertence ou pertenceu.

Do contrário, haverá um preço muito algo a pagar.

A adaptação ocorre com tempo. A flexibilização e a adaptação são vitais para a nossa sobrevivência.

Veja em partes, artigo a respeito do assunto.
 

“O que realmente pensam os conservadores

1. Da necessidade de precisão no debate político

No debate político brasileiro, a primeira vítima costuma ser a semântica. As palavras passam a ser utilizadas em contextos completamente diversos daqueles em que surgiram. Novos significados são acoplados a um termo para que pareça ser mais defensável ou até mais “atacável”. Em casos extremos, as palavras perdem todos os seus sentidos concretos, passando a designar um “oceano de significados”. Exemplo nítido disso é a conhecidíssima “justiça”, que parece ter um conceito diferente em cada boca que a pronuncia.

Mudarão as moscas, mas a merda continuará a mesma!

O lula disse que nasceu político e vai morrer político.
Também, com a vida que ele leva, quem é que vai querer perder a boquinha?
Por outro lado, é uma pena! Eu já estava animado quando ele falou que iria se afastar.
Mas como o que ele fala em pé ele não sustenta sentado, tudo pode acontecer.

Mas, cidadãos de bem, acalmem-se.
A expectativa de vida do homem brasileiro é 70 (setenta) anos.
Lula já fez 65 (sessenta e cinco). Ágüem falou que ele tem 65, mas está com cara de 51.
Dá para agüentar mais um pouco.
Fiquei animado de novo!

Só que tem um problema.
Mudarão as moscas, mas a merda continuará a mesma.

 
J. Cássio.



Direitos humanos e os suprassumos do conhecimento jurídico, da mora e da ética

Veja os títulos dos editoriais dos principais jornais do país, em 01 de maio de 2010:

Anistia chama de 'afronta' a decisão do STF (O Globo)
Brasil pode ser punido por crimes da ditadura em corte da OEA (Folha de S. Paulo)
Comissária da ONU critica decisão do STF sobre anistia (O Estado de S. Paulo)
Comissão volta a enquadrar o Brasil (Correio Braziliense)
Corte da OEA pode vetar uso da Lei de Anistia (O Estado de S. Paulo)
Anistia chama de 'afronta' a decisão do STF (O Globo)
Comissária da ONU critica decisão do STF sobre anistia (O Estado de S. Paulo)



A mais alta corte de justiça do Brasil proferiu uma decisão com respaldo na Constituição Federal elaborada e aprovada por uma assembléia constituinte, eleita pelo povo pelo voto direito.

O Brasil é uma nação soberana, regida por uma constituição que adota a democracia (embora enfraquecida) como regime político e o liberalismo como regime econômico.  Logo, o país não está subordinado a nenhum outro tribunal, a não ser que assine tratados e haja permissão constitucional para tanto.


Não consta na Constituição que as decisões proferidas pelo Supremo Tribunal Federal estarão sujeitas a revisão por outros tribunais ou por apedeutas jurídicos.

O próprio presidente lula, no caso do terrorista italiano, berrou (como de costume) que o Brasil é uma nação soberana e não aceita intromissão de outros países em suas decisões ( isso não valeu para Honduras).
Partindo dessa premissa, pode-se dizer que todos os editoriais acima estão totalmente equivocados, levando o leitor ao erro.

Direito, uma via de mão dupla

Direito, uma via de mão dupla.

O brasileiro quer ter liberdade para tudo. O brasileiro pensa que só ele tem direitos.
Direito é igual via de mão dupla. O direito é proporcional à obrigação.
A democracia custou e custa caro a população.

No entanto, ela não faz nada para defendê-la e aceita as mais simples violações em seus direitos mais elementares.
Quem apóia bandido é bandido. Que apóia o erro, erra também.
Se o lula é apoiado por tantos (o que eu duvido) é porque o povo se espelha nele.
Não estuda, não trabalha, vive de farras, não produz nada, não quer saber de dureza, não respeita as leis, não tem regras moral, não tem ética...

Parece que o povo é igual ao presidente. Só quer sombra e água fresca.
O presidente tem uma vida que todos queriam ter.
Daí, o encanto que ele provoca nos seus admiradores.

Veja o artigo abaixo:



A AMEAÇA SOCIALISTA COMUNISTA
Fonte: www.fortalweb.com.br/grupoguararapes

“Vivemos, ainda, da influência do anarquismo, difundido pelas esquerdas comunistas, a partir de 1968, nos quatro cantos do mundo, com vistas a acabar com as democracias constitucionais. A esquerda pensou que o desmonte da democracia só seria possível com a destruição dos princípios liberais, da liberdade, da fraternidade, da igualdade de oportunidades e do respeito mútuo, entre as pessoas. Estava convicta de que era preciso destruir a família, a meritocracia, a grandeza do trabalho, a livre concorrência e fragilizar as instituições tradicionais e a sociedade. O lema adotado foi - viver sem obrigação e gozar sem trabalhar.